sábado, 17 de novembro de 2012

A apoteose de Tulipa ou Quem tem medo do download?


Na Panela: Tulipa Ruiz - Show Tudo Tanto
Onde: Sec Palladium - Belo Horizonte/MG (16/11/2012)


Quando as cortinas se abriram ontem à noite por volta das 21:15, Tulipa Ruiz foi recebida calorosamente pelo público que lotou o Grande Teatro do Sesc Palladium (importante espaço que arejou a cena cultural de Belo Horizonte desde que foi inaugurado há pouco mais de um ano). Desde os primeiros acordes de "É", a primeira canção do setlist, o jogo já estava ganho pela artista.

Tudo Tanto, o show, é a síntese do que de melhor havia em Efêmera, o elogiado disco lançado em 2010, ou seja, as canções pop redondas e com letras despojadas, somadas à riqueza da sonoridade e às ousadias vocais de Tudo Tanto, o disco de 2012 que selou o contrato de permanência de Tulipa no país das 1001 cantoras. É digno de nota que o show preserve com fidelidade a sonoridade do disco, principalmente pelo mérito de manter  na banda as cordas e sopros. 

Estão lá todas as boas do primeiro disco. "Pedrinho", "Do amor" (acompanhada em coro delicado pelo público), a arrasadora "Só sei dançar com você" e, para afagar o público belorizontino, "As vezes" ("As vezes eu pego uma estrada/E a cada belo horizonte eu diviso o seu rosto"). E estão lá também todas as canções de Tudo Tanto, algumas delas ligeiramente inferiores às do primeiro disco, mas todas vigorosas no palco, embora Tulipa tenha deslizado algumas vezes nos floreios vocais. Tais pecadinhos, porém, foram perdoados. As dissonâncias de "Like this" foram aplaudidas de pé e "Cada voz" deu a pista falsa do fim do show. Foi quando a cantora retornou para cantar "Víbora", num registro visceral. Sem dúvida, o ápice de uma noite memorável. No bis, "Efêmera" e "A ordem das árvores" funcionaram até como um anti-clímax, devolvendo ao show o clima ensolarado e festivo.

O sucesso de Tulipa Ruiz confirma que quem perdeu a guerra, num primeiro momento, contra os discos piratas e, depois, contra os downloads na internet foram as grandes gravadoras e não os artistas, principalmente aqueles que não podem contar com os departamentos de marketing das multinacionais para conseguir um lugar ao sol. Pelo contrário, os novos meios de divulgação, que incluem as redes sociais e o Youtube, são claramente os responsáveis por acontecimentos como os de ontem. O público estará sempre ávido para prestigiar ao vivo aquilo que gosta, tenha ele comprado ou, como eu fiz, baixado o disco gratuitamente no próprio site da artista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário