domingo, 29 de agosto de 2010

Nina Becker: Boa surpresa num sábado particularmente ruim


Na Panela: Nina Becker - Azul/Vermelho
Onde: SESC Copacabana
@@@

Quando a cidade nos faz companhia, é bobagem pouca ficar em casa numa noite de sábado. Nunca pode-se advinhar o que ela, amiga quase sempre muda, tem pra nos mostrar. Foi assim que eu fui parar sem querer dentro de uma bonita arena no SESC Copacabana, depois de descobrir que os ingressos pra peça que eu queria ver tinham se esgotado (último fim de semana em cartaz + crítica positiva no jornal + teatro pequeno = ingressos esgotados) e que, no entanto, a Nina Becker estava lá, disponível, com sua bela voz e acompanhada dos ótimos músicos que formam a base da banda Do Amor (que por sua vez, são a base da BandaCê, dos últimos álbuns do Caetano Veloso), apresentando o repertório dos seus dois discos, Azul e Vermelho. Pena que, à despeito dos arranjos sempre pungentes, ela não tenha grandes canções na manga para que possa brilhar como brilhou, acompanhada de Nelson Jacobina (luxo!!!), em Lágrimas Negras, pérola pescada daquele disco antológico da Gal, Cantar. No fundo, é sempre assim: boas vozes precisam de boas canções, senão o negócio soa como trabalho "de banda" - se é que me faço entender - e não o debut solo de uma cantora refinada. De qualquer modo, vale a pena ouvir os discos (prefiro o Vermelho). E sobre o show, só de ter trazido à minha lembrança que versos como "Belezas são coisas acesas por dentro/Tristezas são belezas apagadas pelo sofrimento" foram escritos, retirou o meu sábado da órbita maçante em que ele girava. Valeu, Nina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário