domingo, 4 de julho de 2010

Delírios de Will: Ê mambemba!


Só pra não passar em branco, registro a passagem do Mambembe pelo Rio de Janeiro, com o espetáculo Delírios de Will, numa versão mais enxuta que a da estréia em Ouro Preto! Confesso que a primeira era bastante confusa e me perdi entre tantas referências, mas esta é bem melhor, mais limpa, ressaltando as qualidades do "mosaico dramatúrgico" construído sobre a obra de Shakespeare. Tenho que confessar também que Delírios, apesar de alguns momentos fantásticos, como a cena da morte da personagem da Aila (foto), não está na minha lista das peças top do Mambembe, onde figuram A menina de lá, O conto da ilha desconhecida, Os irmãos Dagobé e a antológica primeira montagem de O barão das árvores. Mas o que vale é que as pessoas que foram ao belo Parque das Ruínas em Santa Teresa viram algo de qualidade. Espero que o grupo não perca o seu espírito e o apuro estético que fizeram a sua história, em mais um momento de saída de integrantes e entrada de novos. Ai, de repente bateu uma saudade daqueles sábados de sol onde a trupe surgia em algum adro de igreja, com aqueles figurinos e maquiagem fabulosos!

In Conserto: E quem não ri, é o que?


Na Panela: In Conserto - Teatro de Anônimo. [Com João Carlos Artigos, Fábio Freitas e Shirley Britto]
Onde: Teatro do Jockey - Gávea.
@@

Quando vemos por aí algumas expressões marqueteiras que circulam na rede, como "um dos mais conceituados grupos", "vencedor do prêmio", etc e tal, acabamos por criar expectativas em relação a alguns espetáculos. E nem sempre o que esperamos se concretiza, se é que temos esse direito. É o caso deste (curto) In Conserto. Consta que o Teatro do Anônimo "é uma das principais companhias de palhaço do país", mas foram poucas as situações inusitadas e risíveis. Nada que deprecie o talento destes três atores, muito pelo contrário. Simplesmente achei pouca graça... Poxa, se quem ri por último é retardado, quem não ri é o que?