segunda-feira, 31 de agosto de 2009

A Parada Gay de Ouro Preto em 5 tópicos, a partir de sua extensa programação

  1. Solenidade de abertura na Câmara. Isto não significa que os vereadores respeitem os gays ou que um homem culto como Ângelo Oswaldo admire o trabalho do promoter Bombom. É tudo marketing político mesmo.
  2. Haverá apenas um debate público sobre o "panorama" das atividades GLBT. É o tipo de palestra sem tema, aí qualquer blablabla vira pauta. O resto é festa.
  3. Os (dois) DJ´s são de São Paulo e Rio. Faltou London, Paris, Munich, Miami, Ibiza, New York.
  4. A madrinha da Parada (leia-se pequena aglomeração de pessoas) deste ano é a Rosana-Como-Uma-Deusa. Boa voz, pelo menos um clássico dos anos 80 no bolso, mas o resto é... resto. Tipo assim, botox e gelo seco.
  5. No fim, o mais interessante. Os "pocket shows", o burburinho e o bafão vão acontecer em pleno Largo de Antônio Dias, bairro essencialmente de ouropretanos. No domingo de manhã muitas vovós vão necessariamente trombar com travestis e gays na Ponte de Marília, à caminho da missa. Forasteiros, ressalte-se. Os netinhos morreriam de vergonha se fossem pegos na porta da boate "Mamãe Já Sabia".*
*Eta nome infame!

Nenhum comentário:

Postar um comentário